Vai ter trote?

Nos últimos anos o debate sobre o trote tem sido promovido pela instituição. O ex-diretor geral da Famema, José Augusto Alves Ottaiano, faz questão de ressaltar que o trote é proibido. “Temos várias iniciativas solidárias e repudiamos qualquer forma de trote. Queremos receber bem os nossos novos alunos”. A portaria 014 de 25 de fevereiro de 2005 da Famema proíbe o trote em calouros dos cursos de Medicina e Enfermagem, dentro ou fora da instituição. A medida visa evitar que seja colocada em risco a integridade física do aluno, bem como causar situações vexatórias e violentas. Os universitários que infringirem a determinação podem sofrer penalidades, como a expulsão. A Famema também disponibiliza números telefônicos que recebem qualquer denúncia de abuso e desrespeito entre os membros do corpo acadêmico: (14) 9798-9152 e (14) 9754-5132.

No Diretório Acadêmico, a crítica se estende às relações hierarquizadas entre os estudantes. Acreditamos que acadêmicos de todos os anos devem possuir os mesmos direitos e, por isso, possuem mesmo peso de voz e voto no Diretório. O movimento estudantil é construído por todos nós, estudantes do 1º ao 6º ano, portanto não deve haver qualquer distinção entre essas contribuições. Também nos colocamos veementemente contra qualquer ação física ou moral realizada contra a vontade do calouro. Os calouros tem o direito de serem respeitados e bem recebidos, bem como veteranos tem o dever de respeitá-los como iguais. O Diretório se põe a disposição de todos os estudantes para continuar essa discussão e para atender as pessoas ou grupos que se considerarem vitimados. E, dessa forma, esperamos construir, conjuntamente, um espaço de convivência, equidade, democracia e respeito mútuo na faculdade, fazendo dela um lugar melhor.

Apoio